quinta-feira, 1 de julho de 2010

Zero To..a traição. 4th chapter

Entretanto vasculhou aquele laboratório, papeis em todo o lado, falavam sobre um tal vírus e ao ler melhor um relatório, a cor da sua cara rapidamente virou branca. Como seria possível o vírus ainda estar a atormentar a vida da humanidade. Sacudiu a cabeça e esmurrou a mesa com o seu braço direito, destruindo-a completamente. Saiu rapidamente da sala onde estava e tentou sair daquele edifício, a meio caminho encontrou um mapa e tentou guiar-se por ali. Alguns minutos depois encontrava-se numa sala gigante, parecia uma sala de treino. Ou simplesmente uma sala gigante vazia, andou até ao meio quando o chão sacudiu e começou a abrir. Saltou para trás enquanto um monstro com feições humanas surgia. Com a cara deformada e braços parecidos com o que viu no seu sonho. Então ouviu uma voz.
-Zack, ainda bem que apareceste, já estávamos a pensar que te tinhas perdido. Hehe…apresento-te alguém que…conheces particularmente bem.
Zack cerrou os dentes e tentou saltar até uma cabina que estava no alto com um indivíduo lá dentro, mas rapidamente foi agarrado pelo monstro que tinha a capacidade de esticar os braços e com uma força violenta, Zack quebrou o chão com o choque. Imóvel ficou o corpo de Zack durante minutos enquanto o monstro avançou sobre ele e pegou nele e começou a mandá-lo contra as paredes, chão e tudo o que tivesse por perto. Sangue saltava por todos os lados e Zack acordava mas sem forças para contra atacar e por com um choque tremendo o seu corpo atravessou o chão e caiu para o fundo desse buraco. Sem o perseguir o monstro recuou e foi-se embora.
Passado uns segundos o corpo dele embateu no chão e então horas passaram até acordar…

Zack acorda esfregando a cabeça, encontrava-se agora num calabouço, parecia subterrâneos do castelo onde se encontrava. Talvez houvesse uma saída talvez não. Olhou em volta e só viu esqueletos e nenhuma indicação nada de nada que pudesse haver saída possível. Levantou-se e vasculhou cada recanto e então encontrou um monte de pedras empilhadas, ao que parece havia um buraco que seria a saída. Mas como mover aquilo tudo, sozinho seria impossível…e se?
Olhando para o seu braço direito começou a pensar, se realmente tivesse infectado aquele braço seria útil. Tentou concentrar-se, mas segundos depois nada parecia mudar. Começou a ficar irritado e tentou concentrar-se outra vez…mas nada. Sentia frustração e rosnou ao soquear a parede, então o seu braço começou a mudar. As veias sobressaiam, e uma dor enorme apoderava-se de Zack. Foi de joelhos ao chão agarrando o seu braço que transformava-se como no seu sonho. Gritos agonizantes saiam da sua boca, suava fortemente e por fim a transformação estava completa. O seu olho direito de castanho passou a vermelho, possivelmente a infecção teria alastrado ou era apenas mais um “sintoma” do seu monstro. Olhou fixamente a parede de rochas e com as veias a pulsar mandou um violento soco nas rochas fazendo-as quebrar e cair rapidamente ao chão. Agarrou o seu peito com a mão “normal” e seguiu caminho, durante algum tempo seu braço ficou no seu estado animal, sem se preocupar muito com isso avançou por túneis e mais túneis. E chegou a uma sala onde tinha escadas feitas na pedra. Seria ali a saída? Avançou devagar e antes de chegar, o chão abriu-se ao meio saindo de lá um gigante. Também ele infectado não parecia que iria deixar Zack passar sem uma luta. Sem deixar Zack pensar arremessou o seu punho gigante mas desviou-o rapidamente mas com alguma dificuldade. Rebolou no chão e só teve tempo de desviar o pé gigante que veio ao seu encontro. Com algumas dores, não se sentia confiante naquele combate. É como se não estivesse totalmente sincronizado com o seu braço. Rosnou outra vez desviando com ainda mais dificuldade o punho do gigante que rasou a sua perna. Com algum tempo correu para um canto, tentando descansar e pensar em algo, mas era inútil a velocidade do monstro era anormal para o seu tamanho. Desta vez apanhou Zack e levantou-o no ar, espremendo-o fortemente entre as suas mãos gigantes. Gritos ainda mais arrepiantes vinham de Zack. Então o seu olho direito começou a brilhar e o seu braço direito como se tivesse vida própria libertou Zack e revitalizou-o em segundos. Arfando olhou em volta e viu um tumulo. Correu para lá, talvez houvesse algo que pudesse usar visto que não tinha as suas fiéis katanas. Estava agora mais rápido devido ao seu braço e então vasculhou rapidamente o tumulo encontrado uma espada estranha, o seu punho fazia lembrar uma pega de mota, a lamina tinha uma rosa desenhada ao longo dela e era no seu todo negra. Encontrou um casaco, iria dar jeito visto que não tinha t-shirt. Vestiu-o e pegou na espada virando-se para o gigante. Com um sorriso convencido avançou rapidamente para ele. Evitando um punho do monstro saltou e preparou a espada para um corte vertical, assim o vez, cortando metade da cara do zombie gigante, deixando-o desorientado. E assim ganhando tempo para preparar o próximo ataque. Olhou para os seus pés que pareciam frágeis e atacou rapidamente com vários golpes, levando o monstro ao chão em segundos.
Saltou para o seu ombro e mandou um soco com imensa potência na cara do bicho, mandando-o furiosamente contra a parede, fazendo estremecer tudo. Algo que teve uma consequência rapidamente, tudo começava a cair, então Zack precisa de se despachar, pondo a ponta da lamina no chão começou a correr, criando faíscas e aquecendo a lamina e no ultimo segundo virou a lamina para cima e cortou a gigante em dois, sangue salpicava-o na cara enquanto a sua expressão agora era dum assassino. Aproveitando o balanço do ataque começou a correr pela parede e rapidamente estava a sair do buraco e agora encontrava-se na parte inferior do castelo. A partir dali era só procurar a sala onde esteve e perceber o que estava a acontecer e quem era aquela pessoa que o alvejou…

2 comentários:

Sara Antunes disse...

umbrella corporation... me gusta

nao sei o q é isto mas me gusta... i shall read >w>

Pan. disse...

adoro, estou a seguir.